Aposentar-se pode significar um recomeço

Data: 17/01/2020

Quem acha que a aposentadoria significa “estacionar” e apenas aproveitar o tempo em casa ou descansando está muito enganado. O seu Nelson Luiz Gomez é prova disso. Aposentado desde 1999, ele voltou para a sala de aula e encarou um Mestrado, mas vamos contar essa história do começo.

Seu Nelson entrou na Copel como estagiário da área de informática em 1972. Participou de diversos treinamentos em hardware e software conquistando, assim, um certificado de analista de sistemas da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Em seguida, foi admitido como engenheiro eletricista dando continuidade ao trabalho que já exercia.

A partir daí, gerenciou diversas áreas como a Divisão de Sistemas de Potência, Departamento de Sistemas Técnico Científico, Superintendência de Informática e Coordenadoria de Suporte à Vendas da Copel.

Além do trabalho, seu Nelson lembra dos momentos de descontração na empresa. “Participei de olimpíadas internas entre os empregados. Essas atividades criavam um ambiente de cooperação e espírito de equipe. Lembro ainda dos animados jantares dançantes de encerramento de ano que aconteciam com muita alegria e felicidade.”

Quando chegou o momento de se aposentar, ele decidiu que queria mais. Foi então que decidiu voltar aos estudos e, em 2003, concluiu um Mestrado em Administração de Empresas, na UFPR. Pensam que seu Nelson parou por aí? Nada disso. Ele foi em frente e realizou um desejo antigo. Voltou para a sala de aula mais uma vez e, em 2010, concluiu o curso de Direito. “Essa formação me permite atuar hoje no Direito Penal e Família junto aos Tribunais e Comarcas da Justiça. “

Mas atualmente a vida dele não é só estudar e trabalhar. Atividades físicas estão presentes no seu dia a dia com a prática de tênis e o beach tennis, além das esporádicas aulas de musculação na academia. Seu Nelson ainda integra o Coral da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e, nas horas vagas, gosta de cozinhar. “Além disso tudo consigo programar no mínimo duas viagens ao ano para conhecer novas culturas e belezas naturais.”

Sobre o vínculo que tem até hoje com a Fundação Copel ele afirma: “A Fundação foi e é um “porto seguro”. Um familiar meu passou por problemas gravíssimos de saúde e recebemos todo apoio possível. Só me resta agradecer à diretoria e aos funcionários pelo incansável atendimento e acolhimento”.

Seu Nelson ainda ressalta que suas filhas fazem parte do Plano Família: “A excelente administração do plano certamente irá assegurar aos meus netos, daqui há 20 anos, bons estudos, seja no Brasil ou no exterior.”

Hoje em dia, ele ainda exerce outras atividades. “Dedico uma parcela significativa do meu tempo a entidades profissionais e associativas. Fui eleito Presidente do Instituto de Engenharia do Paraná (IEP), Diretor do Movimento Pró-Paraná, Diretor do CREA-PR; Diretor do Clube Curitibano, Presidente do Conselho de Consumidores da Copel e Diretor da Sucesu-PR. Tenho que agradecer muito à diretoria da Fundação Copel, em especial ao Presidente Marcos Domakoski, pela homenagem recebida na Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp). Essa homenagem será arquivada juntamente com momentos inesquecíveis da minha vida.”

A história do seu Nelson nos mostra que a aposentadoria não significa necessariamente parar, mas sim recomeçar.

Acesse os principais serviços da Fundação Copel