É hora de falar sobre obesidade infantil

Data: 30/10/2019

Hambúrguer, batata frita e refrigerante. São poucas as crianças que resistem à essa combinação, não é mesmo? Mas é preciso ficar de olho, pois um simples lanche que faz a alegria da garotada, pode trazer consequências bem graves para a saúde delas.

Não é de hoje que se fala em obesidade infantil. Explicar aos pequenos e até mesmo aos pais sobre esse assunto sem que pareça uma tarefa chata e impossível é uma tarefa árdua.  A má alimentação e a falta de atividades físicas são os principais fatores que levam à obesidade.

Hoje em dia é comum que uma criança prefira ficar a tarde toda se divertindo com joguinhos no celular, ao invés de andar de bicicleta com os amigos, por exemplo. Muitas vezes, a culpa também é dos pais que, na correria do dia a dia, optam por um lanche mais rápido para as crianças “substituindo” uma refeição.

Alimentos industrializados, doces, frituras e refrigerantes são um verdadeiro veneno e devem ser evitados sempre que possível. É importante explicar que a obesidade infantil também pode estar associada a alguma doença como diabetes, colesterol, hipertensão, depressão ou ainda, ao uso de medicamentos.

Ao contrário do que muitos pensam, não é normal que a criança esteja acima do peso. Isso não é sinônimo de saúde, pelo contrário. É preciso ficar atento e cuidar de quem tanto precisa dos nossos cuidados.

Acesse os principais serviços da Fundação Copel